quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Preparação para a Reprodução

Em Janeiro Fevereiro na generalidade dos casos são os meses indicados para a formação dos casais. Devemos estudar previamente as aves em melhores condições, não só ao nível fénotipo (aspecto exterior da ave) e génotipo (património genético da ave), mas essencialmente às condições de saúde, dando sempre um tempo de adaptação ao casal para que tenham um relacionamento harmonioso que é fundamental para a fecundação dos ovos e consequentemente obtenção de bons resultados.


Aspectos a ter em conta na preparação dos reprodutores são o ambiente e alimentação.

Considerando a boa saúde dos reprodutores, temperatura adequada, e sobretudo a luz, são componentes fundamentais para a obtenção de bons resultados. Podemos favorecer esta preparação com um programa organizado de luz artificial, simulando as horas de luz ideais na época de preparação e reprodução, ou então aguardando pela época ideal, como é a primavera.

A escolha destes dois métodos, com as vantagens e desvantagens de cada um, depende sempre das condições que temos para podermos optar pela escolha mais ideal.

Com a luz natural tudo se desenvolve a um ritmo, mais tranquilo e sem dúvida mais saudável, reflectindo-se na obtenção de melhores resultados, meses ideais Março, Abril e Maio, a não ser que tenhamos meses frios e húmidos que tenhamos que recorrer a recursos artificiais.

A luz artificial, por contrário, impõe a utilização de um relógio temporizador, programado diariamente e potencialmente perigoso para mudas fora de tempo por excesso de luz. Uma programação de luz requer sempre uma programação de temperatura harmoniosa e coordenada, de forma a ter nos finais de Janeiro 12 horas em média de luz e temperatura de 7/8 º C, isto implica logicamente termómetros, higrómetros e fontes de calor, com custos acrescidos pelo consumo de energia. Para não falar de desumidificadores e sistemas de isolamento essenciais para criação fora de tempo ou em condições naturais adversas.

Se optarmos por utilizar luz artificial devemos sempre de uma forma gradual tirar ou aumentar o número de horas de luz, essencialmente neste último caso em que se não for assim podemos correr o risco de termos mudas de penas fora de tempo, (falsas mudas) por alterações no metabolismo da ave por excesso de luz, com consequentes comprometimentos nos bons resultados na totalidade da época de reprodução.


No que respeita à questão da alimentação, da mesma forma que em condições naturais, as plantas amadurecem e criam os seus grãos para alimentação, permitindo aos granívoros na aproximação da primavera ter uma boa alimentação, em cativeiro devemos também ter em consideração a alimentação adequada consoante a época (Manutenção, Preparação, Reprodução).

Na fase de repouso a alimentação deve ser à base de sementes secas, essencialmente de alpista, enriquecendo gradualmente esta alimentação na preparação e criação, para que seja estimulado a maduração sexual e sobretudo haja uma alimentação disponível e suficiente para alimentar todas as necessidades próprias no desenvolvimento das criações.

O enriquecimento de uma adequada alimentação deve ser gradual à base de alimentos brancos, nutritivos e apetecíveis, tais como sementes germinadas, hidratadas, tendo em atenção os métodos de preparação adequados, evitando a transmissão de fungos, propicio a este tipo de alimentação.

Para a germinação é conveniente uma boa mistura de sementes, previamente submetidas a um teste de germinação, para sabermos se todas as sementes germinam nas devidas condições de administração sem corrermos riscos de estar a administrar sementes estragadas que são altamente prejudiciais na alimentação.

Uma a duas vezes por semana devem administrar verduras ou frutas variadas, garantindo uma variabilidade no regime de alimentação e uma dieta saudável no que respeita às vitaminas. Apesar de uma alimentação variada é também aconselhado nos locais de pouca luminosidade e fechados a administração de vitamina E, vitamina importante para a fecundação e um polivitaminico, proporcionando um equilíbrio fundamental para a obtenção de bons resultados.
Produtos utilizados na preparação dos reprodutores:
>> Proboost SuperMax (diariamente)
>> Vitamina E (3x na semana na água)
>> Potent Brew (1x /semana na água)
>> Calcivet (1x/semana na papa)
>> Germinado ( 3x na semana, alternada)
Claro está que este esquema é aquele que é utilizado por mim, com base no conhecimento das minhas aves, do tempo que disponho para cuidar delas, e sofrendo aqui e ali alguns ajustes consoante as necessidade ou carências que se denota nas mesmas ao longo dos vários ciclos maturativos.
Boas criações 2011 para todos os ornitófilos.

Sem comentários:

Enviar um comentário